Quais os cuidados que devo ter ao aplicar nitrato de prata para cauterização de granuloma em cicatriz umbilical de recém nascido?
Quais os cuidados que devo ter ao aplicar nitrato de prata para cauterização de granuloma em cicatriz umbilical de recém nascido?

Profissional solicitante:

Enfermeiro da ESF

 

Resposta:

O granuloma umbilical é descrito como um defeito de cicatrização que consiste na formação de um broto de tecido de granulação que se ergue do fundo da cicatriz umbilical; é de cor vermelha, o aspecto é úmido e há presença de secreção serosa ou sanguinolenta.

Os cuidados que devemos ter antes da aplicação de nitrato de prata (prescrição feita por profissional habilitado) na cicatriz umbilical são: – orientar a mãe ou cuidador/responsável sobre o procedimento; – reunir material necessário, higienizar as mãos conforme procedimento operacional padrão da instituição, calçar as luvas. Durante a aplicação: – observar aspecto do granuloma, presença de secreção ou odor*. – para melhor visualização da região e diminuir a flora bacteriana, realizar higiene prévia com haste de algodão** embebida em álcool a 70 %, da base para a ponta (parte mais externa) no sentido de meia lua, proceder a limpeza na superfície da pele circundante com o segundo cotonete e pincelar o restante do coto com outro cotonete; – caso haja necessidade, higienizar antes com água e sabão; – proteger a pele da região peri-cicatriz com óleo de amêndoas ou solução de ácidos graxos essenciais, para evitar queimadura química do nitrato na pele íntegra; – aproximar o bastão de nitrato de prata sobre o granuloma por alguns segundos até mudar de coloração; trocar de região até completar toda a área do granuloma.

Após a aplicação: – cobrir com compressa de gaze, sem fixar, para proteger a região de atritos e colocar a fralda. – orientar a mãe/cuidador/responsável para: -continuar com higiene na cicatriz umbilical com água e sabão no banho, removendo secreções e crostas, para diminuir a população bacteriana no local; – manter a aplicação com álcool a 70 % após banho, deixando o local sempre seco; – trocar fraldas normalmente; – comunicar ao profissional de saúde qualquer anormalidade da região para avaliação do processo de cicatrização. Na presença de sinais de inflamação ao redor do umbigo, como edema, hiperemia e calor no local com ou sem sinais sistêmicos de infecção, deve-se suspeitar de onfalite. Encaminhar para consulta médica imediata. Na ausência da haste de algodão, pode-se usar uma compressa de gaze. Lembrar a mãe que o procedimento é indolor à criança, pois não há terminações nervosas no granuloma. Portanto, se a criança chorar, não é por causa da limpeza.

 

Referência:

SÃO PAULO. Secretaria Municipal de Saúde. Protocolos de Enfermagem da Atenção Básica da Prefeitura de São Paulo: – Manual de enfermagem: saúde da criança e do adolescente,; 4 ed; 2015, pág. 50 (disponível do endereço em 06/11/2018 http://pesquisa.bvsalud.org/sms/resource/pt/sms-10932).

SÃO PAULO. Secretaria Municipal de Saúde. Manual de normas rotinas e procedimentos de enfermagem. São Paulo, 2015, pág. 85 (disponível no endereço em 06/11/218 http://pesquisa.bvsalud.org/sms/resource/pt/sms-10908).

NUCLEO DE TELESSAÚDE DO RIO GRANDE DO SUL. “Como tratar o granuloma umbilical do recém-nascido, na falta do bastão de nitrato de prata?” Segunda opinião formativa, submetida em outubro de 2017 (disponível no endereço em 06/11/2018 https://ares.unasus.gov.br/acervo/handle/ARES/9776)