Paciente tomou vacina da febre amarela fracionada em 26 de fevereiro, porem a mesma após um dia ganhou uma viajem internacional que exige certificação internacional da vacina, porem sabemos que eles só aceitam para certificação doses não fracionadas. Como proceder neste caso, tendo em vista que a paciente só irá viajar em dezembro? Deve-se ser revacinada? qual melhor momento?
Paciente tomou vacina da febre amarela fracionada em 26 de fevereiro, porem a mesma após um dia ganhou uma viajem internacional que exige certificação internacional da vacina, porem sabemos que eles só aceitam para certificação doses não fracionadas. Como proceder neste caso, tendo em vista que a paciente só irá viajar em dezembro? Deve-se ser revacinada? qual melhor momento?

Categoria Profissional Solicitante: Médico da Estratégia de Saúde da Família

Resposta: Informamos que a paciente deve receber nova dose da vacina contra febre amarela, na dose plena. O intervalo ideal para o novo procedimento é de pelo menos 30 dias. Recomendamos que a paciente procure uma unidade de referência para viajantes internacionais, com a passagem, juntamente com um documento, a carteira de vacina e o cartão SUS. As unidades de saúde estão disponíveis no site da prefeitura, acessível através do link: http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/saude/vigilancia_em_saude/doencas_e_agravos/index.php?p=248543.

 

Referências:

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis. Nota Informativa nº 1, de 2018. Campanha de vacinação febre amarela

___________ Nota Informativa nº 94, de 2017. Dispõe de orientações e indicações da dose única da  vacina da febre amarela

Governo do Estado de São Paulo. Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo. Comissão Permanente de assessoramento em Imunizações. Coordenadoria de Controle de Doenças. Centro de Vigilância Epidemiológica “ Prof. Alexandre Vranjac”. Norma técnica do Programa de Imunização São Paulo – SP de 2016