Paciente de 54 anos relata dor em cotovelo D, na região do epicôndilo medial, desde outubro/2020. Procurou atendimento após 2 meses com exame físico sem sinais flogísticos ou deformidades na região, sem dor à palpação de musculatura do antebraço e braço, ADM e força preservadas. Feitas orientações sobre ergonomia nas atividades domésticas, orientações posturais e prescrito AINE por 7 dias. Retornou após 2-3 semanas, sem melhora e foi solicitado USG da região. Retorna essa semana com resultado do exame, sem alterações, e relata dor agora também em epicôndilo medial E. Nesta consulta, relata diagnóstico de psoríase há 4 anos, com acompanhamento com dermatologista. Paciente observou que no início do quadro em ambos os cotovelos apresentava mancha de psoríase no local, ainda presente no E (mancha hipercrômica sem descamação), paciente relata que já tinha iniciado tratamento tópico prescrito pelo dermatologista. Pode ser um caso de artrite psoriática? Quais os exames devem ser solicitados e qual a conduta nesse caso? Já encaminhei para o Reumatologista, mas gostaria de oferecer medicação para alívio da dor e/ou resolução do problema se possível, visto o tempo de espera para encaminhamento para esta especialidade. Obrigada!

Paciente de 54 anos relata dor em cotovelo D, na região do epicôndilo medial, desde outubro/2020. Procurou atendimento após 2 meses com exame físico sem sinais flogísticos ou deformidades na região, sem dor à palpação de musculatura do antebraço e braço, ADM e força preservadas. Feitas orientações sobre ergonomia nas atividades domésticas, orientações posturais e prescrito AINE por 7 dias. Retornou após 2-3 semanas, sem melhora e foi solicitado USG da região. Retorna essa semana com resultado do exame, sem alterações, e relata dor agora também em epicôndilo medial E. Nesta consulta, relata diagnóstico de psoríase há 4 anos, com acompanhamento com dermatologista. Paciente observou que no início do quadro em ambos os cotovelos apresentava mancha de psoríase no local, ainda presente no E (mancha hipercrômica sem descamação), paciente relata que já tinha iniciado tratamento tópico prescrito pelo dermatologista. Pode ser um caso de artrite psoriática? Quais os exames devem ser solicitados e qual a conduta nesse caso? Já encaminhei para o Reumatologista, mas gostaria de oferecer medicação para alívio da dor e/ou resolução do problema se possível, visto o tempo de espera para encaminhamento para esta especialidade. Obrigada!
Paciente de 54 anos relata dor em cotovelo D, na região do epicôndilo medial, desde outubro/2020. Procurou atendimento após 2 meses com exame físico sem sinais flogísticos ou deformidades na região, sem dor à palpação de musculatura do antebraço e braço, ADM e força preservadas. Feitas orientações sobre ergonomia nas atividades domésticas, orientações posturais e prescrito AINE por 7 dias. Retornou após 2-3 semanas, sem melhora e foi solicitado USG da região. Retorna essa semana com resultado do exame, sem alterações, e relata dor agora também em epicôndilo medial E. Nesta consulta, relata diagnóstico de psoríase há 4 anos, com acompanhamento com dermatologista. Paciente observou que no início do quadro em ambos os cotovelos apresentava mancha de psoríase no local, ainda presente no E (mancha hipercrômica sem descamação), paciente relata que já tinha iniciado tratamento tópico prescrito pelo dermatologista. Pode ser um caso de artrite psoriática? Quais os exames devem ser solicitados e qual a conduta nesse caso? Já encaminhei para o Reumatologista, mas gostaria de oferecer medicação para alívio da dor e/ou resolução do problema se possível, visto o tempo de espera para encaminhamento para esta especialidade. Obrigada!

Profissional Solicitante:

Médico da estratégia de saúde da família

 

Resposta:

Prezada colega, para pensar em artrite psoriática nós utilizamos os Critérios CASPAR – Classification Criteria for Psoriatic Arthritis: Doença inflamatória articular estabelecida e pontuação igual ou maior do que 3 pontos nos seguintes critérios: Psoríase cutânea atual – 2 pontos ou história de psoríase – 1 ponto ou história familiar de psoríase – 1 ponto. Dactilite (“dedos em salsicha”) atual ou passado – 1 ponto. Evidência radiográfica (mãos/pés) de neoformação óssea justa-articular – 1 ponto. Fator reumatoide negativo – 1 ponto. Distrofia ungueal (onicólise, pitting, hiperceratoses) – 1 ponto.  No caso apresentado, por gentileza, avalie novamente utilizando os critérios acima, mas é importante dizer que a primeira linha de tratamento para dor nesses casos é igual ao tratamento de artrite reativa, ou seja, uso de AINE. Uma opção que você tem na ubs é o Ibuprofeno 300 mg 3 x dia.

 

Referências:

DM Piovesan, EB Oliveira, E Harzheim, JK Brenner, MR Agostinho, N Kataz, et al. Protocolos de encaminhamento para reumatologia adulto. Telessaude RS – UFRGS. Porto Alegre, 2015. Diponível em: https://www.ufrgs.br/telessauders/documentos/protocolos_resumos/protocolos_encaminhamento_reumatologia_TSRS_20160324.pdf