Paciente de 16 anos, gestante, com 30semanas e 5/7 atualmente, apresentou ITU no primeiro e segundo trimestres, internada no terceiro trimestre por pielonefrite, vem em consulta de retorno mantendo leucócitos na urina de 132000, nitrito negativo e cultura negativa. Usg renal sem com cisto renal direito. Não tem outras comorbidades e função renal normal. Existe conduta que podemos fazer para evitar nova infecção e evitar trabalho de parto prematuro?

Paciente de 16 anos, gestante, com 30semanas e 5/7 atualmente, apresentou ITU no primeiro e segundo trimestres, internada no terceiro trimestre por pielonefrite, vem em consulta de retorno mantendo leucócitos na urina de 132000, nitrito negativo e cultura negativa. Usg renal sem com cisto renal direito. Não tem outras comorbidades e função renal normal. Existe conduta que podemos fazer para evitar nova infecção e evitar trabalho de parto prematuro?
Paciente de 16 anos, gestante, com 30semanas e 5/7 atualmente, apresentou ITU no primeiro e segundo trimestres, internada no terceiro trimestre por pielonefrite, vem em consulta de retorno mantendo leucócitos na urina de 132000, nitrito negativo e cultura negativa. Usg renal sem com cisto renal direito. Não tem outras comorbidades e função renal normal. Existe conduta que podemos fazer para evitar nova infecção e evitar trabalho de parto prematuro?

Profissional Solicitante: Médico clínico

Resposta:

Em ITU não complicada iniciar o uso de antibiótico com cobertura de germes comuns e que poderá ser modificado após a identificação do agente e a determinação de sua susceptibilidade. Na bacteriúria assintomática, o tratamento deve ser guiado, sempre que possível, pelo teste de sensibilidade do agente observado no antibiograma. Antibióticos de escolha no tratamento da bacteriúria assintomática e ITU não complicada em gestantes: • Nitrofurantoína (100 mg), uma cáp., de 6/6 horas, por 10 dias (evitar após a 36ª semana de gestação); • Cefalexina (500 mg), uma cáp., de 6/6 horas, por 7 a 10 dias; • Amoxicilina-clavulanato (500 mg), uma cáp., de 8/8 horas, por 7 a 10 dias. Repetir urinocultura sete a dez dias após o término do tratamento. Verificar se o quadro de infecção urinária é recorrente ou de repetição. Uma dose diária de nitrofurantoína e vigilância rigorosa não mostraram prevenir recorrência da infecção urinária em comparação com vigilância estrita isolada. Uma redução significativa de bacteriúria assintomática foi encontrada em mulheres com uma alta taxa de frequência clínica e que receberam nitrofurantoína e vigilância rigorosa. Há um relato limitado de desfechos primários e secundários para mulheres e bebês. Nenhuma conclusão pode ser tirada sobre a intervenção ideal para prevenir recorrência de ITU em mulheres gravidas.

Referências:

Ministério da Saúde, Instituto Sírio-Libanês de Ensino e Pesquisa. Protocolos da Atenção Básica: Saúde das Mulheres. Brasília: Ministério da Saúde; 2015.

Schneeberger C, Geerlings SE, Middleton P, Crowther CA. Interventions for preventing recurrent urinary tract infection during pregnancy. Cochrane Database of Systematic Reviews 2015, Issue 7. Art. No.: CD009279. DOI: 10.1002/14651858.CD009279.pub3. Accesso em 2020 dez 03.