MF, 47 anos hígida, não utiliza nenhuma medicação. Histórico de três gestações, três partos sem intercorrências, esterilização por laqueadura há 06 anos, fórmula menstrual 3/28. Com queixa de cistos mamários simples. Em exame de USG das mamas realizado em novembro/2017, observa-se cisto simples de 8×6 mm na mama direita ás 12 horas. Exames de maio/2018 o cisto encontra-se com 11 mm. A minha dúvida é se devido ao crescimento desse cisto no período relatado, devo realizar algum outro estudo complementar (PAAF)?
MF, 47 anos hígida, não utiliza nenhuma medicação. Histórico de três gestações, três partos sem intercorrências, esterilização por laqueadura há 06 anos, fórmula menstrual 3/28. Com queixa de cistos mamários simples. Em exame de USG das mamas realizado em novembro/2017, observa-se cisto simples de 8×6 mm na mama direita ás 12 horas. Exames de maio/2018 o cisto encontra-se com 11 mm. A minha dúvida é se devido ao crescimento desse cisto no período relatado, devo realizar algum outro estudo complementar (PAAF)?

Profissional solicitante: Médico da Estratégia de Saúde da Família

Resposta

Agradeço seu contato e a confiança depositada em nós para que possamos auxiliá-lo no seguimento de seu caso. Aproveitarei seu questionamento eminentemente clínico para introduzir uma problematização da ordem da comunicação em saúde. Cistos mamários são achados comuns em mamas de mulheres acima dos 40 anos de idade ou peri/pós menopausadas, o que epidemiologicamente, já pode tranquilizar-nos e à sua paciente. A avaliação rotineira com análise citológica do conteúdo dos cistos não se tem demonstrado custo-efetiva devido à baixa razão de verossimilhança que o exame possui. Isto significa que podemos acabar promovendo uma intervenção desnecessária sem benefício real para a paciente. No entanto, as melhores evidências disponíveis são um tanto reticentes quanto ao cisto solitário, ainda mais na sua persistência após período de espera permitida. Neste sentido, adiciono o questionamento a respeito de comunicação em saúde: você compreendeu que há medo de patologia grave, por parte da paciente, observando este cisto? A realização de exame adicional foi demandada pela paciente? Acredito podemos pensar em compartilhar a decisão revelando que as punções de cistos são pouco efetivas, porém que não há evidência científica suficiente para contraindicar a sua realização. Caso a paciente prefira ser submetida à punção, você terá realizado boa prática médica e desempenhado uma boa comunicação.

 

Referências:
MORROW M. The Evaluation of Common Breast Problems. Am Fam Physician.2000; 61(8): 2371-2378. Disponível em: < https://www.aafp.org/afp/2000/0415/p2371.html