Estamos com 2 agentes de saúde a menos e minha dúvida é se estas áreas têm que ser cobertas no total ou só as prioridades? Obrigada pela atenção!
Estamos com 2 agentes de saúde a menos e minha dúvida é se estas áreas têm que ser cobertas no total ou só as prioridades? Obrigada pela atenção!

Profissional solicitante:

 Agente comunitário de saúde

 

Resposta:

As prioridades necessitam ser visitadas, de todas as áreas. Entendendo-se como prioridades usuários de alguns grupos de preferência, com a classificação do risco familiar: gestantes, crianças menores de 2 anos, hipertensos graves, diabéticos, acamados e outros usuários que os demais profissionais técnicos da equipe, já tenham realizado a classificação pela Escala de risco familiar. Havendo o déficit de 02 ACS em uma mesma equipe, os demais membros da ESF, devem organizar-se para identificar as prioridades de toda a área e não apenas das áreas sem ACS. Garantindo assim, a qualidade nas Visitas. Segundo o Guia da Política Nacional da Atenção Básica -2018, em áreas de grande dispersão territorial, áreas de risco e vulnerabilidade social, quando um ACS estiver ausente da equipe, seja por motivo de licença, afastamento ou por qualquer outro motivo, a equipe deve se responsabilizar pelo território “descoberto” para que as famílias com maior risco e vulnerabilidade sejam sempre assistidas. Os Agentes Comunitários de Saúde (ACS) visitam as famílias cadastradas (no mínimo mensalmente), e de acordo com a avaliação das condições de vulnerabilidade da família, constroem e garantem o vínculo e o acesso ao contexto familiar e social. O resultado de cada visita deve ser compartilhado com a equipe para o conhecimento e desdobramento de ações de cada caso conforme a sua realidade, daí a equipe já deverá definir a frequência das visitas.

Referências:

Ministério da Saúde (BR), Secretaria de Atenção à Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde. Guia Política Nacional de Atenção Básica – Módulo 1: Integração Atenção Básica e Vigilância em Saúde. Brasília; 2018. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/guia_politica_nacional_atencao_basica_integracao_atencao_basica_vigilancia_saude_modulo_1.pdf

Prefeitura do Município de São Paulo, Manual de Diretrizes Operacionais da Unidade Básica de Saúde, São Paulo; 2016. Disponível em: https://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/upload/diretrizesoperacionaisatencaobasica.pdf

Ministério da Saúde (BR), Secretaria de Atenção à Saúde. Política Nacional de Atenção Básica. Brasília; 2012.  Disponível em: http://189.28.128.100/dab/docs/publicacoes/geral/pnab.pdf