Na Recepção Técnica Acolhedora ( RTA) devemos usar somente o caderno 22,  volume 1 e 2, ou existe algum outro instrumento que auxilie na recepção técnica acolhedora?

Na Recepção Técnica Acolhedora ( RTA) devemos usar somente o caderno 22, volume 1 e 2, ou existe algum outro instrumento que auxilie na recepção técnica acolhedora?

Profissional solicitante: Enfermeiro Resposta: A Recepção Técnica Acolhedora (RTA) deve ter um trabalho orientado para assegurar uma escuta técnica qualificada para o acesso. É missão de a RTA viabilizar uma conversa individual com o usuário, de modo a valorizar a escuta do motivo da procura do serviço, garantindo seu acesso aos cuidados necessários. A RTA

Leia mais
Bom dia! Se o paciente já fez dose de palivizumabe no ano anterior é necessário repetir a dose esse ano se ele tiver as indicações para aplicação da mesma? A dose é 15mg/kg, mas existe dose máxima a ser administrada?

Bom dia! Se o paciente já fez dose de palivizumabe no ano anterior é necessário repetir a dose esse ano se ele tiver as indicações para aplicação da mesma? A dose é 15mg/kg, mas existe dose máxima a ser administrada?

Profissional solicitante: Médico estratégia saúde da família   Resposta: Boa Tarde. Não existe dose máxima, pois a dose é calculada com base no peso do paciente em quilogramas, sendo que, o paciente deve ser pesado no dia da aplicação sem roupa e sem fralda. Quanto às indicações: Todos os prematuros, com idade gestacional inferior a

Leia mais
MO, 43 anos durante uma consulta de rotina vem com os resultados de exames alterados:hemograma: hm: 3,24 hb:5,7 hct: 19,7 M micrositose M anisocitose D poiquilocitose M policromasia e plaquetas 300.00 com macroplaquetas (14/03/2018) Paciente assintomática relata alteração fluxo menstrual nos últimos 2 meses aumento volume não sabe dizer quanto e um episodio de aumento de fluxo muito alto por apenas um dia, ao exame físico apenas hipocorada. Tem diagnostico de HAS compensada. Após a consulta solicitei transferência da paciente para hospital de referencia na qual teve avaliação clinica e encaminhamento de retorno ao medico da família. após esse episódio foram mais 2 tentativas de internação hospitalar sem sucesso. informei a gerencia na unidade sobre o caso, informei o medico RT que como resposta tentaria uma internação direta medico para medico mas não obtive retorno ate o momento. Gostaria de saber qual seria a conduta adotada? Paciente está medicada com medicações oferecida pelo SUS e encaminhada para hematologia sem previsão de consulta e o caso foi matriciado e passado pra GO da unidade.

MO, 43 anos durante uma consulta de rotina vem com os resultados de exames alterados:hemograma: hm: 3,24 hb:5,7 hct: 19,7 M micrositose M anisocitose D poiquilocitose M policromasia e plaquetas 300.00 com macroplaquetas (14/03/2018) Paciente assintomática relata alteração fluxo menstrual nos últimos 2 meses aumento volume não sabe dizer quanto e um episodio de aumento de fluxo muito alto por apenas um dia, ao exame físico apenas hipocorada. Tem diagnostico de HAS compensada. Após a consulta solicitei transferência da paciente para hospital de referencia na qual teve avaliação clinica e encaminhamento de retorno ao medico da família. após esse episódio foram mais 2 tentativas de internação hospitalar sem sucesso. informei a gerencia na unidade sobre o caso, informei o medico RT que como resposta tentaria uma internação direta medico para medico mas não obtive retorno ate o momento. Gostaria de saber qual seria a conduta adotada? Paciente está medicada com medicações oferecida pelo SUS e encaminhada para hematologia sem previsão de consulta e o caso foi matriciado e passado pra GO da unidade.

Categoria Profissional solicitante: Médico da Estratégia de Saúde da Família Resposta : Trata-se de pergunta de médico generalista sobre conduta a ser adotada para a uma paciente de 43 anos com anemia importante, com hemoglobina de 5,7 g/dl e história de perda sanguínea menstrual (considerando leucócitos e plaquetas dentro dos limites da normalidade). Consultamos o especialista (

Leia mais
Paciente tomou vacina da febre amarela fracionada em 26 de fevereiro, porem a mesma após um dia ganhou uma viajem internacional que exige certificação internacional da vacina, porem sabemos que eles só aceitam para certificação doses não fracionadas. Como proceder neste caso, tendo em vista que a paciente só irá viajar em dezembro? Deve-se ser revacinada? qual melhor momento?

Paciente tomou vacina da febre amarela fracionada em 26 de fevereiro, porem a mesma após um dia ganhou uma viajem internacional que exige certificação internacional da vacina, porem sabemos que eles só aceitam para certificação doses não fracionadas. Como proceder neste caso, tendo em vista que a paciente só irá viajar em dezembro? Deve-se ser revacinada? qual melhor momento?

Categoria Profissional Solicitante: Médico da Estratégia de Saúde da Família Resposta: Informamos que a paciente deve receber nova dose da vacina contra febre amarela, na dose plena. O intervalo ideal para o novo procedimento é de pelo menos 30 dias. Recomendamos que a paciente procure uma unidade de referência para viajantes internacionais, com a passagem, juntamente com

Leia mais
Em alguns casos os pacientes comparecem a consulta odontológica fazendo uso de aparelho ortodôntico “de enfeite” e em algumas vezes querem removê-los. Estes pacientes são orientados a remover este aparelho no dentista que o instalou, mesmo porque não temos instrumentais ortodônticos. Este é o procedimento adequado?

Em alguns casos os pacientes comparecem a consulta odontológica fazendo uso de aparelho ortodôntico “de enfeite” e em algumas vezes querem removê-los. Estes pacientes são orientados a remover este aparelho no dentista que o instalou, mesmo porque não temos instrumentais ortodônticos. Este é o procedimento adequado?

Categoria Profissional Solicitante: Cirurgião dentista Resposta:  Sim,este é o procedimento correto para qualquer caso onde o paciente relata o interesse na remoção da aparatologia fixa presente na cavidade bucal. A remoção do aparelho fixo é um procedimento delicado que demanda conhecimento técnico específico e que quando não realizado corretamente, traz prejuízos severos para o paciente podendo provocar

Leia mais
Em relação aos critérios de contraindicação à vacinação contra a febre amarela, o uso de corticóide inalatório spray oral e nasal pode ser considerado?

Em relação aos critérios de contraindicação à vacinação contra a febre amarela, o uso de corticóide inalatório spray oral e nasal pode ser considerado?

 Categoria Profissional Solicitante: Gerente de serviços de saúde Resposta: Segundo a recomendação do Ministério da Saúde, não deverá ser vacinada contra febre amarela a pessoa em uso de terapia imunossupressora (quimioterapia, radioterapia e corticoterapia), além de outras comorbidades, doenças e condições clínicas. O uso de corticosteróide pode levar à imunodepressão, na dependência da dose e do

Leia mais
Como podemos minimizar o stresses/desânimo/descontentamento mediante trabalho diário nas unidades básicas de saúde?

Como podemos minimizar o stresses/desânimo/descontentamento mediante trabalho diário nas unidades básicas de saúde?

Categoria Profissional Solicitante: Gerente de serviços de saúde Resposta:   Os avanços da modernidade, as inovações organizacionais, técnicas e tecnológicas, associadas ao aumento progressivo e significativo do estresse ocupacional têm exigido das pessoas constante adaptação, maior consciência e grande habilidade para enfrentar evoluções e administrar o estresse. A introdução de novos modelos de gerenciamento do

Leia mais