Bom dia! Se o paciente já fez dose de palivizumabe no ano anterior é necessário repetir a dose esse ano se ele tiver as indicações para aplicação da mesma? A dose é 15mg/kg, mas existe dose máxima a ser administrada?
Bom dia! Se o paciente já fez dose de palivizumabe no ano anterior é necessário repetir a dose esse ano se ele tiver as indicações para aplicação da mesma? A dose é 15mg/kg, mas existe dose máxima a ser administrada?

Profissional solicitante: Médico estratégia saúde da família

 

Resposta:

Boa Tarde. Não existe dose máxima, pois a dose é calculada com base no peso do paciente em quilogramas, sendo que, o paciente deve ser pesado no dia da aplicação sem roupa e sem fralda. Quanto às indicações: Todos os prematuros, com idade gestacional inferior a 29 semanas devem receber uma aplicação mensal durante o período de sazonalidade (no município de fevereiro a julho) até completarem 1 ano de idade, independentemente se já receberam no ano anterior. Pacientes prematuros com doença pulmonar crônica da prematuridade em tratamento e/ou com cardiopatia com repercussão hemodinâmica devem receber uma aplicação mensal durante o período de sazonalidade (no município de fevereiro a julho) até completarem 2 anos de idade, independentemente se já receberam no ano anterior.

 

Referências:

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde – SAS. Departamento de Ações Programáticas e Estratégicas – DAPES. Coordenação Geral de Saúde da Criança e Aleitamento Materno – CSCAM. Secretaria de Ciência e Tecnologia e insumos estratégicos – SCTIE. Departamento de Assistência Farmacêutico e Insumos estratégicos- DAF. Coordenação Geral de Assistência Farmacêutica e Medicamentos Estratégicos- CGAFME. Secretaria de Vigilância em Saúde- SVS. Departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis- DEVIT. Coordenação Geral Doenças transmissíveis. Nota Técnica Conjunta n.05/2015, Brasília

 

_______. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde – SAS. Portaria n 522, de 13 de maio de 2013- Aprova o protocolo de uso do Palivizumabe para prevenção de infecção pelo vírus sincicial respiratório.

 

Secretaria Estadual da Saúde de São Paulo- SES. Gabinete do Secretário. Resolução SS – 249, de 13 de julho de 2007. Aprova Norma Técnica elaborada pela Coordenadoria de Controle de Doenças- Centro de Vigilância Epidemiológica e Coordenadoria de Ciência, Tecnologia e Insumos estratégicos de Saúde, que estabelece as diretrizes para prevenção da  infecção pelo vírus sincicial respiratório- VSR no âmbito do Sistema Único de Saúde- SUS do Estado de São Paulo. Publicação n 131- DOE em 14 de julho de 2007.