Tenho tido vários casos de pacientes, mulheres em climatério ou pós-menopausa com uma queixa típica: formigamento ou calor em plantas dos pés. O exame clínico descarta qualquer patologia dermatológica ou neurológica. Exames laboratoriais normais, ficando excluídas anemia, ferroprivação ou vitamina B12 baixa. Existe alguma conduta para estes casos?
Tenho tido vários casos de pacientes, mulheres em climatério ou pós-menopausa com uma queixa típica: formigamento ou calor em plantas dos pés. O exame clínico descarta qualquer patologia dermatológica ou neurológica. Exames laboratoriais normais, ficando excluídas anemia, ferroprivação ou vitamina B12 baixa. Existe alguma conduta para estes casos?

Profissional Solicitante:  Médico da estratégia de saúde da família

 

Resposta

O “formigamento” em mãos e pés é um sintoma que pode estar associado á diminuição do estrogênio que caracteriza o período do climatério. No entanto, a reposição hormonal para tratamento deste sintoma isolado, não é habitualmente instituída. As principais indicações para a reposição hormonal sistêmica no climatério são a presença de sintomas vasomotores, prevenção da osteoporose nas mulheres com risco e menopausa precoce. Nestas situações, a reposição hormonal pode melhorar também este sintoma. Lembrar da abordagem integral para este período de transição da vida da mulher, não apenas a abordagem terapêutica isolada dos sintomas Abordagem integral e não farmacológica das queixas no climatério.

·         Cuidados não farmacológicos das queixas no climatério:

·         Práticas integrativas e complementares, em especial a fitoterapia.  Alguns fitoterápicos podem auxiliar no alívio dos sintomas presentes no climatério, particularmente os fogachos, alteração transitória que pode comprometer a qualidade de vida das mulheres nesse período. Entre os fitoterápicos presentes na Relação Nacional de Medicamentos Essenciais (RENAME), o único que está associado ao tratamento dos sintomas do climatério é a Isoflavona da soja.

·         Abordagem motivacional quanto ao estilo de vida saudável (alimentação, atividade física, higiene do sono) e à elaboração de novos projetos e objetivos para essa nova fase da vida.

·         Atenção às redes de apoio social e familiar, relações conflituosas e situações de violência.

·         Realizar ações de prevenção de forma individualizada, em especial, quanto a doenças crônico-degenerativas cardiovasculares, metabólicas e neoplásicas, de acordo com faixa etária, história, fatores de risco e comorbidades. Não há indicação da realização de exames de rotina no climatério, eles devem ser orientados de forma individualizada, quando necessário. Não está indicado o rastreamento universal da osteoporose com realização de densitometria óssea.

Referências.

1.Brasil. Ministério da Saúde. Protocolos da Atenção Básica: Saúde das Mulheres [recurso eletrônico] /Ministério da Saúde, Instituto Sírio-Libanês de Ensino e Pesquisa Brasília. 2015. Disponível em http://189.28.128.100/dab/docs/portaldab/publicacoes/protocolo_saude_mulher.pdf

 

2.Shifren JL, Gass MLS et al. The North American Menopause Society Recommendations for Clinical Care of Midlife Women. The North American Menopause Society.2014; 21(10). Disponível em https://www.menopause.org/docs/default-source/2014/nams-recomm-for-clinical-care.pdf