Gostaríamos de um auxilio quanto aos casos de pacientes com mamas muito grandes, que necessitam de mamoplastia redutora. Tínhamos orientação de que as mesmas deveriam ser avaliadas por especialistas que comprovassem a real necessidade de redução, porém alguns casos relacionados a questão de dores lombares, por exemplo, que são encaminhadas ao Ortopedista, são devolvidas para Ubs novamente. Gostaria de uma orientação de como proceder e sobre o que é necessário, se existe um protocolo para estes tipos de solicitação. Desde já agradeço.
Gostaríamos de um auxilio quanto aos casos de pacientes com mamas muito grandes, que necessitam de mamoplastia redutora. Tínhamos orientação de que as mesmas deveriam ser avaliadas por especialistas que comprovassem a real necessidade de redução, porém alguns casos relacionados a questão de dores lombares, por exemplo, que são encaminhadas ao Ortopedista, são devolvidas para Ubs novamente. Gostaria de uma orientação de como proceder e sobre o que é necessário, se existe um protocolo para estes tipos de solicitação. Desde já agradeço.

Profissional Solicitante:

Assistente administrativo

 

Resposta:

Os casos de hipertrofia mamária/gigantomastia com repercussões em outros sistemas do corpo que possam ter indicação de mamoplastia redutora deverão ser encaminhados para avaliação dos especialistas (ortopedia, psiquiatria, ginecologia, ou outro que se faça necessário) para verificar/confirmar o nexo causal das repercussões. Após estas avaliações os casos deverão ser contra referenciados para a UBS de origem com relatório médico informando o referido nexo. Com este relatório, a UBS de referência do caso fará o encaminhamento pelo Regulador Local/UBS para a Regulação da Coordenadoria Regional de Saúde com CID N 62. Especificação da Vaga – Procedimento – Consulta Médica Especializada Cirúrgica II, anexando todos os resultados de exames realizados pela paciente e o relatório do(s) especialista(s). A Regulação da Coordenadoria Regional de Saúde avaliará o caso e encaminhará para a Regulação Central/SMS que após avaliação fará o agendamento na Cirurgia Plástica. A paciente poderá ser submetida à cirurgia plástica reparadora das mamas quando houver por exemplo: Incapacidade funcional pela ptose mamária, com desequilíbrio da coluna; infecções cutâneas de repetição por excesso de pele, como infecções fúngicas e bacterianas; alterações psicopatológicas devidas à hipertrofia mamária (critério psiquiátrico). As questões mais específicas de fluxos locais poderão ser respondidas junto ao Regulador da Supervisão Técnica de Saúde e Coordenadoria Regional de Saúde da Região.

Referências:

Ministério da Saúde (BR), Atenção Especializada e Hospitalar, Indicações para cirurgia plástica reparadora. Brasília (DF); 2017 [acesso em 10/01/2020]. Disponível em: http://www.saude.gov.br/atencao-especializada-e-hospitalar/especialidades/obesidade/tratamento-e-reabilitacao/indicacoes-para-cirurgia-plastica-reparadora