A paciente é idosa, hipertensa de longa data, sem história de eventos cardiovasculares e sem outras comorbidades. Em uso de Losartana, Atenol, Anlodipino e Hidroclorotiazida. Vem apresentando descontrole pressórico, assintomática, má aderência medicamentosa. Em visita domiciliar, no exame físico, PA de 220×100 mmHg, FC 44bpm, bulhas rítmicas e hipofoneticas com sopro sistólico em foco pulmonar. Sem edema em membros, AR sem alterações, sem turgência jugular e sem alteração urinaria. Realizou ECG no mês passado com conclusão de HVE, fração de ejeção preservada. Encaminhada ao cardiologista com HD de insuficiência cardíaca. Reforcei aderência medicamentosa. Solicitei exames Laboratoriais, EAS e ECG. A dúvida é em relação ao descontrole pressórico, se a melhor conduta farmacológica nesse momento é otimizar alguma das drogas. Poderia aumentar a Hidroclorotiazida para tomar 02 comprimidos pela manhã? Ou introduzir Espironolactona ou tratar como Insuf. Cardíaca e introduzir furosemida? Fiquei preocupada com essa bradicardia, mas ela está assintomática. Além disso, seria indicado rastrear hipertensão secundária considerando hipertensão resistente ou esse descontrole é associado à insuficiência cardíaca, má aderência medicamentosa?

A paciente é idosa, hipertensa de longa data, sem história de eventos cardiovasculares e sem outras comorbidades. Em uso de Losartana, Atenol, Anlodipino e Hidroclorotiazida. Vem apresentando descontrole pressórico, assintomática, má aderência medicamentosa. Em visita domiciliar, no exame físico, PA de 220×100 mmHg, FC 44bpm, bulhas rítmicas e hipofoneticas com sopro sistólico em foco pulmonar. Sem edema em membros, AR sem alterações, sem turgência jugular e sem alteração urinaria. Realizou ECG no mês passado com conclusão de HVE, fração de ejeção preservada. Encaminhada ao cardiologista com HD de insuficiência cardíaca. Reforcei aderência medicamentosa. Solicitei exames Laboratoriais, EAS e ECG. A dúvida é em relação ao descontrole pressórico, se a melhor conduta farmacológica nesse momento é otimizar alguma das drogas. Poderia aumentar a Hidroclorotiazida para tomar 02 comprimidos pela manhã? Ou introduzir Espironolactona ou tratar como Insuf. Cardíaca e introduzir furosemida? Fiquei preocupada com essa bradicardia, mas ela está assintomática. Além disso, seria indicado rastrear hipertensão secundária considerando hipertensão resistente ou esse descontrole é associado à insuficiência cardíaca, má aderência medicamentosa?

Profissional Solicitante: Médico Generalista Resposta A situação clínica apresentada é de uma paciente idosa que possui hipertensão arterial sistêmica, mas sem eventos cardiovasculares. Para responder a suas dúvidas farei alguns apontamentos: Esta paciente está com 4 classes medicamentosas para o tratamento da hipertensão. Num primeiro momento pode-se pensar que se trata de um paciente com

Leia mais
Por quanto tempo devemos guardar na unidade as notas do prestador contratado para serviços laboratoriais? Notas de faturamento, notas de recebimento de insumos e relação de exames recebidos. Os documentos de prestadores deste mesmo serviço que já finalizaram o contrato com a prefeitura, têm o mesmo prazo para arquivar na unidade ou podem ser desprezados? E de que forma podem ser descartados?

Por quanto tempo devemos guardar na unidade as notas do prestador contratado para serviços laboratoriais? Notas de faturamento, notas de recebimento de insumos e relação de exames recebidos. Os documentos de prestadores deste mesmo serviço que já finalizaram o contrato com a prefeitura, têm o mesmo prazo para arquivar na unidade ou podem ser desprezados? E de que forma podem ser descartados?

Profissional Solicitante: Enfermeiro Resposta Todas as notas de recebimento de insumo devem ser arquivadas por 5 anos, conforme Tabela de Temporalidade Parcial de Documentos da Administração Pública do Município de São Paulo : atividade-meio. Com relação as notas fiscais de serviço ( por exemplo: laboratoriais) a Tabela de Temporalidade Parcial de Documentos da Administração Pública

Leia mais
Qual é a periodicidade da troca de sonda vesical de demora na atenção básica? Existe diferença de periodicidade de acordo com a patologia do paciente?

Qual é a periodicidade da troca de sonda vesical de demora na atenção básica? Existe diferença de periodicidade de acordo com a patologia do paciente?

Profissional Solicitante: Enfermeiro Resposta Não há evidência definitiva na literatura sobre intervalo regular para troca da sonda vesical de demora (via uretral ou via supra púbica) nos pacientes que necessitam do uso da sonda por longo período. Por essa razão, não há recomendação para a troca com intervalo fixo. Entretanto a troca pode ser realizada

Leia mais
Gostaria de saber o porquê da liberação das vagas de agenda regulada/especializada para o aplicativo do Agenda Fácil. No início, o acesso era apenas da agenda local e da regulada era só para visualizar a posição em fila de espera e confirmar o agendamento. Hoje o que ocorre é que usuários idosos, que não utilizam o aplicativo, acabam permanecendo na fila de espera, enquanto o usuário que utiliza o aplicativo consegue agendar na agenda regulada. Pergunto: como fica a equidade?

Gostaria de saber o porquê da liberação das vagas de agenda regulada/especializada para o aplicativo do Agenda Fácil. No início, o acesso era apenas da agenda local e da regulada era só para visualizar a posição em fila de espera e confirmar o agendamento. Hoje o que ocorre é que usuários idosos, que não utilizam o aplicativo, acabam permanecendo na fila de espera, enquanto o usuário que utiliza o aplicativo consegue agendar na agenda regulada. Pergunto: como fica a equidade?

Solicitante: Gerente de Serviços de Saúde   Resposta: O acesso às vagas da Agenda regulada/especializada para os munícipes com o aplicativo Agenda Fácil, só é possível para todos os cadastrados em fila de espera (inserido pelo setor de Regulação de determinada unidade), e só consegue vagas em um intervalo de 15 dias a partir da

Leia mais
Um Enfermeiro capacitado para aplicação e leitura de “PPD” derivado proteico purificado/teste tuberculínico pode capacitar outro enfermeiro para a mesma atividade? Tenho conhecimento que, antigamente era necessário que o enfermeiro para capacitar outro, teria que ser leitor de referência e exigia uma capacitação diferenciada. Essa informação procede?

Um Enfermeiro capacitado para aplicação e leitura de “PPD” derivado proteico purificado/teste tuberculínico pode capacitar outro enfermeiro para a mesma atividade? Tenho conhecimento que, antigamente era necessário que o enfermeiro para capacitar outro, teria que ser leitor de referência e exigia uma capacitação diferenciada. Essa informação procede?

Profissional solicitante: Enfermeiro Resposta: O documento vigente sobre técnicas e aplicações de Prova Tuberculínica (PT), se refere a multiplicadores e instrutores, entendendo-se que se trata de uma capacitação complexa que exige, um número expressivo de aplicações e leituras para que o profissional seja considerado habilitado. A necessidade de capacitação deve ser informada a UVIS que

Leia mais
Há alguma contra indicação em autorizar a vacinação contra febre amarela em paciente de 63 anos com história patológica pregressa de hepatite C, com cura ha 13 anos? Grata!

Há alguma contra indicação em autorizar a vacinação contra febre amarela em paciente de 63 anos com história patológica pregressa de hepatite C, com cura ha 13 anos? Grata!

Profissional solicitante: Médico da Estratégia de Saúde da Família   Resposta:   Em resposta à solicitação de informação sobre vacina de febre amarela em paciente com cura de hepatite C temos a informar: 1-Avaliar se o paciente não é portador de cirrose ou hepatocarcinoma, se fez transplante de fígado, se toma algum medicamento imunossupressor; nestas

Leia mais
Quais os cuidados que devo ter ao aplicar nitrato de prata para cauterização de granuloma em cicatriz umbilical de recém nascido?

Quais os cuidados que devo ter ao aplicar nitrato de prata para cauterização de granuloma em cicatriz umbilical de recém nascido?

Profissional solicitante: Enfermeiro da ESF   Resposta: O granuloma umbilical é descrito como um defeito de cicatrização que consiste na formação de um broto de tecido de granulação que se ergue do fundo da cicatriz umbilical; é de cor vermelha, o aspecto é úmido e há presença de secreção serosa ou sanguinolenta. Os cuidados que

Leia mais
Minha dúvida é sobre paciente do sexo feminino, 14 anos, menarca desde 12 anos, ciclos irregulares, apresenta diferença de mamas muito grande, com USG mamas normais. Sempre notamos diferença entre as mamas, em quase todos os pacientes, mas de fato há uma diferença significativa neste caso, o que me deixou em dúvida sobre seguir ou não com alguma investigação. Existe alguma conduta nesses casos?

Minha dúvida é sobre paciente do sexo feminino, 14 anos, menarca desde 12 anos, ciclos irregulares, apresenta diferença de mamas muito grande, com USG mamas normais. Sempre notamos diferença entre as mamas, em quase todos os pacientes, mas de fato há uma diferença significativa neste caso, o que me deixou em dúvida sobre seguir ou não com alguma investigação. Existe alguma conduta nesses casos?

Profissional solicitante: Médico clínico   Resposta: A assimetria mamária é achado frequente entre adolescentes. Pode se dar pela diferença de resposta dos receptores ao estímulo estrogênico. Há necessidade de acompanhar e aguardar o processo do desenvolvimento nesta faixa etária. Os ciclos irregulares podem indicar ausência do amadurecimento do eixo hipotalâmico – hipofisário – ovariano. Se

Leia mais